• Wide screen resolution
  • Narrow screen resolution
  • Increase font size
  • Decrease font size
  • Default font size
JA slide show

 

 

Mensagem de reflexão para Abril

 

A Providência ajuda aqueles que ajudam os outros

Versão para impressão Enviar por E-mail
Valores Sociais e Dependências Individuais

A personalidade colectiva do aglomerado português resulta de uma gigantesca fervura étnica e cultural com longa história. A própria formação do país deriva deste processo. A situação geográfica, com o litoral aberto em larga extensão, torna o nosso espaço geográfico uma natural ponte de passagem entre o norte europeu e as regiões mediterrânicas. Facilita o convívio, às vezes forçado, entre diferentes culturas. Algumas seguiram as rotas marítimas dos Cruzados das Cristandades Nórdicas, ou chegaram por terra atravessando a cordilheira pirenaica. Outras foram trazidas pelo vento «suão», a brisa do levante que sopra no Mediterrâneo. Todas se espalharam à procura das terras férteis deste lado da península. Portugal formou-se como unidade política no meio desta correria, dos bruscos movimentos de populações em fuga ou, depois dos conflitos, do regresso aos lares.
Continuar...
 
Versão para impressão Enviar por E-mail
Do Mitraísmo ao Cristianimo

Os Romanos tinham diversos deuses. O número das suas divindades deve ter sido imenso. Uma parte foi retirada do panteão grego e das regiões conquistadas. Os Lares e os Penates são dos mais conhecidos. Os Lares eram os espíritos dos antepassados1. A sua função era a de proteger a casa. O culto consistia em ter uma estátua ou imagem, colocada junto à lareira, numa aedes, nicho, ou num lararium, uma espécie de oratório ou capela particular. A estátua tinha, naturalmente, um significado simbólico. A sua finalidade consistia em manter viva a memória dos antepassados e pedir-lhes protecção. Neste contexto familiar e íntimo, cada um ia desenvolvendo lentamente o seu lado espiritual. Alumiavam-na com lâmpadas, símbolos de vigilância. O fogo simboliza a alma e nunca devia apagar-se. O pai, descendente directo dos antepassados, o paterfamílias, deveria responsabilizar-se por manter vivo o culto e seus rituais2. Os Lares Compitales, ou Lares que guardavam as encruzilhadas, possuíam um nicho em cada uma delas. E os Lares Praestites, os Lares Protectores, guardavam os caminhos e as muralhas. Uns e outros lembram-nos as nossas tradicionais “alminhas”.
Continuar...
 
Versão para impressão Enviar por E-mail
Os Sete Pecados

Primeiro – A Soberba

A maioria das pessoas na sua cegueira espiritual, cria e desenvolve este maléfico sentimento, sem mesmo disso se aperceber. Olvida a grande verdade, velha como a terra: “Quanto maiores procuramos ser aos olhos do mundo, tanto menos nos tornamos aos olhos de Deus”. Eis a razão porque topamos tão frequentemente com criaturas cheias de empáfia, desprezando o seu semelhante, sem que, no entanto, nada justifique a sua atitude. Contudo, se procurarmos descortinar essa maneira de proceder, vemos com clareza o seguinte:
Continuar...
 
<< Início < Anterior 11 12 13 14 15 16 17 18 Seguinte > Final >>

Pág. 12 de 18

O Céu Dentro de Nós


ceug50

Proporciona uma viagem pelos princípios rosacrucistas. É também um guia prático para viver o dia-a-dia do caminho da rosa.

Ler este livro, é compreender um pouco os princípios dos Rosacruzes, que formam uma das duas Escolas de Mistérios Menores do Ocidente, durante séculos, à semelhança da maçonaria, impiedosamente perseguidos e condenados pela doutrina que ensinavam.

Ainda assim, a sua filosofia influenciou muitos autores e artistas de várias áreas.


 

Actualités

Philosophy

Educação

Artes

Março 2014 Abril 2014 Maio 2014
Se Te Qu Qu Se Do
1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30

Inquérito

Qual a sua relação com Deus?
 

Autenticação



Presenças

Temos 2701 visitantes em linha

Páginas visitadas:

Locations of visitors to this page